Black Friday: Quando falhar custa caro

Em ocasiões de pico de acessos, como a Black Friday, falhas, períodos de intermitência ou mesmo de indisponibilidade total dos serviços podem gerar grandes prejuízos financeiros e danos à reputação da marca

A Black Friday é um dos eventos mais importantes do varejo online. De acordo com levantamento da Neotrust/Compre&Confie, em 2020 a data gerou R$ 5,1 bilhões em vendas — valor 31% maior do que o mesmo período do ano anterior. O estudo ainda indicou que foram realizadas 7,6 milhões de compras online, número 24,7% maior do que o registrado no evento de 2019.

Para a Black Friday 2021, a expectativa é que a data de 26 de novembro seja marcada pela estreia do Whatsapp Pay, pela alta adesão ao Pix como meio de pagamento instantâneo e pelo aumento exponencial do volume de vendas online, impulsionado pela pandemia.

Para os negócios digitais que buscam otimizar resultados nessa Black Friday 2021, agora é a hora de identificar e corrigir falhas de processos e sistemas que impactam na conversão de vendas e na experiência do usuário.

Pensando nisso, é importante otimizar os requisitos de performance e de segurança para garantir que a experiência de navegação e compra através de sua plataforma seja a melhor possível, além de considerar possíveis evoluções de arquitetura e uma série de recomendações técnicas na hora de implementar novos meios de pagamento no processo de compra, reduzindo cada vez mais a fricção, e aumentando a conversão.

PIX e WhatsApp Pay: novos meios de realizar transferências digitais

O PIX e o WhatsApp Pay poderão acabar com uma das principais dores do e-commerce: os pagamentos via boleto bancário. Hoje, muitas compras via boleto não são concluídas, já que, às vezes, o cliente faz o pedido, mas não o paga, e essa desistência gera custos para o vendedor. Em ocasiões como a Black Friday, em que o volume de vendas aumenta consideravelmente, isso provoca prejuízos ainda maiores. 

Além disso, os pagamentos instantâneos efetuados através do PIX e do WhatsApp Pay serão concluídos rapidamente. O PIX, por exemplo, permite transferências entre contas correntes de diferentes clientes e empresas em até dez segundos. Para o e-commerce, isso representa o fim da espera pela confirmação do pagamento.

Com a implementação desse meio de pagamento instantâneo, também haverá redução de custos para os varejistas. Já que, hoje, ao receber pagamentos via cartão de crédito, o comerciante paga uma taxa pela transação. Com o PIX e o WhatsApp Pay, este valor será reduzido ou até mesmo zerado. 

Quanto custa falhar na Black Friday?

Um estudo realizado pela Sofist, empresa de consultoria e performance de e-commerce, constatou que as lojas virtuais brasileiras perderam, em média, R$97 milhões durante a Black Friday de 2020. De acordo com a pesquisa, 90 dos 104 sites monitorados impediram o consumidor de navegar em sua plataforma de vendas em algum momento do dia, somando mais de 65 horas de indisponibilidade.

Para chegar ao valor do prejuízo, a Sofist considerou dados do Google que apontam para a perda de R$ 1,5 milhão em receita por cada período de 60 minutos que um e-commerce fica indisponível durante a Black Friday.

No fim das contas, os dados mostram que essas plataformas apresentaram problemas técnicos – como páginas de erro, demora excessiva no tempo de resposta e falha no carregamento após 45 segundos do acesso inicial.

Na prática, isso significa que muitas empresas ainda não estão prontas para oferecer a melhor experiência para seus clientes através de suas plataformas digitais.

Evite falhar em segurança na Black Friday de 2021

O aumento exponencial das vendas online durante a Black Friday 2021 deve ser considerado uma mina de ouro não apenas para o e-commerce, mas também para os cibercriminosos. Cada vez mais, invasores estão se aprimorando e diversificando as formas de explorarem vulnerabilidades de segurança e terem acesso aos dados financeiros de usuários. 

Um levantamento realizado pela Kaspersky, empresa de segurança digital, mostrou um aumento de 9% nos ataques de phishing durante as semanas que antecederam a Black Friday de 2020. Somente entre os dias 29 de outubro e 18 de novembro do ano passado, a empresa registrou 196 tentativas de golpe desse tipo por minuto na América Latina.

Para garantir que seu e-commerce opere sem dificuldades não só durante esse período de altas nas vendas e nos acessos, mas também o ano inteiro, é necessário implementar barreiras de defesa que permitam que sua plataforma se mantenha disponível e segura tanto para você quanto para seus clientes, sem afetar a experiência de uso.

O seu negócio está preparado para a Black Friday 2021?

A Inmetrics oferece soluções completas em testes de performance e cibersegurança, com início rápido, comunicação eficiente e investimento acessível.

E quer saber mais sobre como podemos te ajudar nesta Black Friday? Conheça nosso portfólio de serviços voltados para o grande evento clicando aqui!


Autor: Oscar Nogueira Neto