Conheça os 4 modelos de implantação de nuvem

Diversas empresas estão migrando para a nuvem para se manterem competitivas no mercado. Essa mudança proporciona vantagens para as instituições que decidem percorrer essa jornada de implantação de nuvem, dentre elas: redução de custo, maior agilidade na entrega de soluções, mobilidade e escalabilidade.

O que é a migração para nuvem

Migrar para a nuvem, ou implantação de nuvem, é a expressão usada para se referir ao processo de transferência dos dados da empresa de ambientes físicos locais (o famoso data center) para servidores em nuvem.
Dessa maneira, apesar das informações da instituição ficarem armazenadas na nuvem, por meio da internet, é importante esclarecer que as nuvens estão armazenadas em servidores físicos. Estes pertencem a data centers, ou centros de processamento de dados, que são lugares físicos muito seguros espalhados pelo mundo.

Modelos de Implantação de Nuvem

A migração pode ser feita em empresas de todos os tamanhos e geralmente é benéfica para negócios de diversos setores. Atualmente, existem 4 modelos de implantação de nuvens que uma empresa pode escolher: público, privado, híbrido e comunitário.

– Nuvem Pública

Como já diz o nome, a nuvem pública é uma infraestrutura compartilhada entre diferentes empresas. Porém, cada uma tem um espaço determinado nessa infraestrutura, de modo que a utilização é 100% segura. A estrutura de armazenamento pertence a um provedor terceirizado, que gerencia software e hardware.

Principal vantagem: não há necessidade de adquirir e administrar a infraestrutura, uma vez que ambas as tarefas são de responsabilidade do provedor.

Exemplos de nuvem pública: Microsoft Azure, Google Cloud Plataform, Amazon Web Services, etc.

– Nuvem Privada

Já o modelo de nuvem privada é uma infraestrutura dedicada exclusivamente às necessidades de uma instituição e não está publicamente aberta para uso geral.
Para manter a exclusividade, é necessário investir em infraestrutura otimizada para virtualização.

Principal vantagem: controle totalmente interno dos recursos computacionais, com possibilidade de utilização dos recursos legados para manter a própria nuvem.

Exemplos de nuvem privada: OpenStack, CloudStack, VMware, etc

– Nuvem Híbrida

A nuvem híbrida é a composição de duas ou mais nuvens privadas ou públicas, conectadas através de tecnologias que proporcionam a portabilidade de dados e aplicações. Essa alternativa geralmente é escolhida quando a instituição analisa suas necessidades e chega à conclusão de que utilizar somente um modelo talvez não seja o suficiente para atender todas as suas demandas.

Principal Vantagem: flexibilidade e diferentes opções de implantação.

– Nuvem Comunitária

A nuvem comunitária é compartilhada por diversas instituições e suporta uma comunidade que possui interesses e objetivos comuns (requisitos de segurança, objetivos de negócio, políticas, etc ). Neste modelo a nuvem comunitária pode ser administrada por terceiros e pode existir tanto dentro (on premises) quanto fora (off premises) da instituição.

Agora que conhece os benefícios da implantação de nuvem, entre em contato conosco para saber como fazê-la de forma adequada.

Autor: Patricia Batagello